PRAGAS DE A a Z - Aceria guerreronis

Créditos: EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Joana Maria Santos Ferreira - Editora Técnica

ÁCARO-DA-NECROSE-DO-COQUEIRO
(Aceria guerreronis Keifer)

(Aceri: Eriophydae)

DESCRIÇÃO

Adulto

Tamanho do corpo - a fêmea mede 205 - 255 µm de comprimento e 36 - 52 µm de largura.

Coloração - branco-leitosa ou levemente amarelada e brilhante.

Outras Caractéristicas - Espécie microscópica, não visível a olho nu. Tem o corpo alongado, vermiforme e formado por finos anéis, onde são notados esparsos pêlos longos, concentrados na região posterior. Possui dois pares de patas na região anterior do corpo, caractéristica dos eriofídeos. A olho nu a colônia parece uma camada de pó branco.

BIOLOGIA

Um ácaro adulto alcança a maturidade em poucas semanas; a fêmea põe ovos, globulares e brilhantes, sob as brácteas ou perianto dos frutos; destes eclodem as protoninfas (vermiformes) que se desenvolvem em deutoninfas e estas em novos adultos. O ciclo completo de vida da espécie varia de oito a 11 dias. Praga de grande pontencial reprodutivo. Acredita-se que a reprodução de A. guerreronis possa ser, também, partenogenética, ou seja, um só indíviduo sendo capaz de formar grandes colônias.

 

COMPORTAMENTO

A espécie Aceria guerrenonis vive em colônias e se desenvolve sob as brácteas ou periano dos frutos em desenvolvimento. Autores acreditam que o ataque tenha início desde os primórdios florais, mas, na planta os sintomas da presença da praga são observados, normalmente, a partir do cacho da folha no 12 ou mesmo nos frutos do cacho da folha número 11, isso no caso de infestações muito severas. De um modo geral, a população do ácaro encontra-se ativa no cacho das folhas de número 12, 13 e 14, como mostrado no desenho esquemático a seguir: Clique aqui

O ácaro encontra-se presente na plantação durante todo o ano, mas, é no período de menor precipitação pluvial que se registra no campo a maior população da praga (Tabela 1). Nesse período os frutos se desenvolvem mais lentamente na planta. Isso faz com que o ácaro permaneça por muito mais tempo sobre os frutos, o que agrava e torna seu dano mais sério e visível a o produtor. Lembrando que os frutos mais sensíveis ao ataque do ácaro são os do cacho das folhas nº 12, 13 e 14. Sendo assim, a maior percentagem de frutos danificados é obtida no período de menor precipitação para o coco-seco (12 meses) e de maior precipitação para o coco-de-água (5 a 6 meses).

 

.

SINDCOCO © 2012

Sub sede: Av. Barbosa Lima nº 149, Edifício Alfredo Fernandes, 3º andar, Salas 307/308 – Recife Antigo
CEP 50.030-330 Recife – Pernambuco
E-mail: sindcoco@ig.com.br
Fones: (81) 3224-0344/3224-2638